N o v i d a d e s
Home » DICAS » LAMINADOS SINTÉTICOS
piso-Laminado-vinilico

LAMINADOS SINTÉTICOS

Diferenças quanto à composição química e até mesmo nas técnicas de instalação fazem com que cada tipo de revestimento sintético tenha uma finalidade específica. Seguem abaixo as principais características de cada tipo:

PISO DE BORRACHA:
• placas de borracha sintética, vulcanizadas sob altas temperaturas e pressão e moldadas em fôrmas;

• utilização em ambientes externos ou internos, com ótimo desempenho em escritórios, saunas, clubes, etc, podendo também revestir paredes e tetos;
• não trocam calor com o ambiente, são antialérgicas, antiderrapantes e apresentam boa absorção acústica;
• resistem a impactos sem marcar e não são afetadas por pontas de cigarro;
• são suscetíveis a ácidos e derivados de petróleo;
• normalmente, as com espessura inferior a 4mm são lisas na parte de baixo e fixadas com cola à base de benzina; as de maior espessura (até 15mm) possuem garras que auxiliam na fixação com argamassa apropriada;
• o uso de placas sem garras somente é recomendado para ambientes internos, livres de umidade e de tráfego leve. Também podem ser colocadas sobre outras bases, como pedras, tacos ou cerâmicas, desde que em bom estado;
• as de garras médias são apropriadas para áreas internas e úmidas, como banheiros, podendo também ser utilizadas em garagens;
• para uso externo, recomenda-se as de garras maiores, com grande resistência às intempéries, que também podem ser utilizadas em ambientes de tráfego pesado;
• a base ideal é um contrapiso sem desníveis ou irregularidades e completamente livre de umidade;
• as placas fixadas com cola não devem receber água diretamente para limpeza (recomenda-se utilização de panos úmidos);
• as peças pretas podem ser limpas com água e sabão comum, enquanto a limpeza das coloridas é feita com água e detergente suave.

LAMINADO MELAMÍNICO:
• produzido à base de celulose e resinas fenólicas sob alta pressão, encontrado no formato de réguas ou placas;
• utilização como revestimento de móveis, paredes e pisos de ambientes internos e de tráfego leve;
• não troca calor com o ambiente;
• antiderrapante (mesmo quando molhado), impermeável e antialérgico;
• imune a pontas de cigarros, riscos e quedas de objetos, mas sensível a sapóleo, soda cáustica, água sanitária e ácidos;
• fixação com cola ou argamassa;
• quando assentado sobre base de argamassa sem irregularidades, pode ser lavado com água e sabão;
• pode ser colocado sobre tacos e cerâmicas.

LAMINADO VINÍLICO:
• produzido à base de policloreto de vinila (PVC), é encontrado nos tipos flexível (em rolos) e semiflexível (em placas);

a) flexível
• PVC aplicado em camadas reforçadas por mantas de vidro, geralmente apresntado em rolos de 2 metros de largura por 20 metros de comprimento;
• indicado para áreas internas de tráfego leve;
• antialérgico, não propaga chamas e resiste a temperaturas de até 120ºC;
• fixado com cola especial sobre um cimentado seco e sem oleosidade ou sobre piso existente em bom estado de conservação. Quando bem colocado, dá a impressão de não ter emenda;
• pontas de cigarro mancham o produto, que também é sensível a derivados de petróleo e está sujeito a marcas e riscos;
• limpeza com aspirador, vassoura macia e pano úmido; a água não deve ser jogada diretamente sobre ele.

b) semiflexível
• composto por PVC, plastificantes, carga mineral e pigmentos;
• de acordo com o modelo, suporta do tráfego leve ao medianamente intenso;
• antialérgico e termoestável, resiste a temperaturas de até 120ºC;
• fixado com cola à base de borracha sintética sobre base de argamassa ou piso existente em bom estado de conservação;
• limpeza com pano úmido, pode ser encerado com cera diluída em água. Não deve ser exposto a derivados de petróleo.

TERMOVINÍLICOS:
• composto de ligas vinílicas, fibras sintéticas e cargas minerais, encontrado em placas com espessura variando em torno de 4mm;
• uso interno ou externo;
• suporta grandes cargas;
• resistente a impactos, riscos, líquidos quentes, pontas de cigarro e ácidos;
• não troca calor com o ambiente, não propaga chamas e resiste a até 100ºC;
• fixado com adesivo para pisos ou com cola asfáltica;
• em ambientes de tráfego pesado, deve ser fixado sobre base de argamassa;
• o contrapiso deve estar limpo, seco, livre de óleo e irregularidades;
• pode ser lavado com água e sabão, quando assentado com argamassa. Nos demais casos, a limpeza é feita com pano úmido.

Fonte: Revista Arquitetura & Construção – ago/92.

Check Also

defeitos-madeiras

DEFEITOS NA SECAGEM DE MADEIRAS

As tensões que se desenvolvem na madeira são a causa básica dos defeitos de secagem, ...

Deixe uma resposta