N o v i d a d e s
Home » DICAS » Cupins » CUPIM DE MADEIRA SECA
cupim-cryptotermes-brevis

CUPIM DE MADEIRA SECA

CUPINS DE MADEIRA SECA:
· pertencem a família Kalotermitidae
· obtém água da madeira na qual se alimentam
· não requerem contacto com o solo
· são responsáveis por danos em construções e móveis
· população baixa (geralmente, 100 a 500 indivíduos)

ORGANIZAÇÃO SOCIAL:
Em uma colônia de cupim de madeira seca existem soldados, pseudo-operários, jovens e reprodutores.
Soldados – Os soldados são distintos pela esclerotização e cor escura da cabeça, além de fortes mandíbulas.
Pseudo -operários – Os pseudo -operários ou falsos operários constituem a casta mais numerosa e recebem este nome porque são indivíduos imaturos. Eles têm cor creme e realizam todas as tarefas do ninho: cavam as gaerias, consomem e digerem a madeira, alimentam e cuidam do rei e da rainha, soldados e ninfas. Estes indivíduos podem apresentar broto alares.
Reprodutores: Os reprodutores alados conhecidos como siriris ou aleluias são liberados pelas colônias na primavera, onde são atraídos pelas luzes das casas. Depois da revoada, o par real perde sua asa e seleciona um lugar para entrar na madeira.

SINAL DA INFESTAÇÃO:
Quando existe uma infestação de um móvel na residência é comum os proprietários encontrarem grânulos fecais (pózinho do cupim) no piso abaixo da peça infestada. Os cupins de madeira seca se alimentam da própria peça onde a colônia se instala, porém mantém intacta a superfície externa. Essas paredes, bastante finas, quebram-se com facilidade. Na superfície do mobiliário infestado há sempre orifícios circulares que ligam as galerias do cupim com o exterior. Esses orifícios são utilizados para expulsão dos gr6anulos fecais e saída dos cupins alados.

PRINCIPAL ESPÉCIE PRAGA URBANA:
Cryptotermes brevis

Fonte: http://ns.rc.unesp.br/ib/ceis/cupim

Check Also

historia_da_madeira

USO DA MADEIRA NO DECORRER DA HISTÓRIA

O uso da madeira no decorrer da história: Os primatas, nossos antecessores utilizavam-se das árvores ...

Deixe uma resposta